quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Princesas escravizadas

Deixarei A Cova dos Dragões nessa sexta e sábado, pois viajarei para o segundo melhor lugar do mundo, Patos de Minas. Mas ela continua aberta, principalmente para comentários, sejam positivos ou negativos. Falem mal, por favor.

Vou para uma festa de quinze anos. Elegância, requinte, um dia de princesa com o qual muitas debutantes sonham. É a transformação em mulher. Supostamente. Olhando por outro ângulo, a festa de quinze anos não passa de um evento em que vestimos roupas desconfortáveis, comemos pouco e fingimos ser quem não somos. É uma preocupação com o que falamos e com o modo de agirmos. Chega a ser artificial.

Cada vez mais nos preocupamos com imagem, glamour. Minha chefe (em outro trabalho, não neste blog) foi certa vez a um salão de beleza e depois comentou comigo. "Fazia quatro meses que não ia a um salão!" Como se isso fosse absurdo, um crime.

Outro dia, fui eu mesmo ao cabeleireiro (depois de um mês). Antes de mim, havia uma menina (não-debutante, sequer tinha dez ou onze anos) que fazia uma escova. A mulher a atendê-la puxava seus cabelos com tanta força que provocava caretas na cliente. Enquanto isso, a mãe da pequena dizia: "Tem que se acostumar a ir ao salão toda semana, né, filha? Tá virando mocinha".

ISSO é um absurdo. Desde cedo, a própria mãe coloca na cabeça da filha esse ideal de beleza. E a menina assentia. Logo ela vai querer a própria festa de quinze anos, adquirir complexo de feia, gorda e se entupir de chocolate. Vai viver como uma princesa medieval e como um escravo romano.

Maravilhosa para os outros e presa em si mesma.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Longa vida ao leite!

Precisamos fazer algo. URGENTE! Crianças mimadas e felinos do meu país, será que só vocês me entendem?

Precisamos nos unir contra empresas embaladoras, produtores, vaqueiros e vacas! Todos, até provarmos a culpa de cada um.

O preço do leite integral, aquele de caixinha, subiu 61% esse ano, 185% de 1995 a 2005 [sempre segundo cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconomicos (Dieese) divulgados hoje]. Quando minha mãe deixou eu ir sozinho na padaria da esquina pela primeira vez, o leite custava R$ 0,70. Agora não é raro encontrar leite DE MENOR QUALIDADE a mais de dois tostões!

O Dieese diz ser culpa do aumento da renda da população em geral e a produção menor de leite, o que inflacionou o mercado. Mais gente disputando menos leite. Que vendedor não aumentaria os preços?

Mas isso não importa. Que a gasolina custe três reais o litro, mas o preço do leite não pode ficar assim. Vamos encher a caixa de e-mail dos parlamentares, vamos impressionar o presidente (já pensou se fosse com a cachacinha?), vamos fazer qualquer coisa!

O leite é excelente para fortalecer os ossos e pode auxiliar na manutenção ou perda de peso.

O meu amigo Vítor Noronha Matos, autor do excelente O Furor, disse-me certa vez achar interessante o encontro de dois santos na blogosfera: São Guinefort, o santo cachorro e padroeiro de O Furor, e, segundo Vítor, São Jorge, em referência ao dragão, sua cova na lua e este blog.

O senhor Noronha Matos é uma pessoa muito inteligente e gosta de cutucar este que vos escreve (principalmente ao idolatrar o Obina). Não adianta, Vítor. Associar este espaço com o santo protetor do Corinthians, jamais! Aqui só há espaço para rezar a São Paulo, Maria Madalena e Dona Rosa (minha falecida avó).

Que estes o perdoem, caro amigo.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Eu não quero ganhar na Mega-Sena

Tá bom, eu sei que você quer, sei que 99% dos brasileiros querem, mas EU não quero.

Sábado foi feito mais um sorteio da famosa e milionária loteria. Foram distribuídos mais de 55 milhões de reais para 18 ganhadores. Foi o segundo maior prêmio da história, menos apenas que os mais de 64 milhões dados a um único ganhador, em 1999.

Nessa história toda, concordo com o comentarista da Rede Globo e Rádio CBN Arnaldo Jabor. Não seria melhor dar 55 prêmios de um milhão? Assim, seria uma melhor e mais abrangente distribuição de renda. Os críticos da idéia poderiam dizer que um prêmio tão menor (até parece) faria do jogo menos atraente, mas a chance de uma em 50 milhões de ganhar na loteria também não é lá muito interessante... Mais prêmios, mais chances de ganhar, não é, Sílvio Santos?

Sem falar na mudança abrupta de vida de quem ganha uma bolada dessa. Não, obrigado. Largar tudo, ter que me esconder e mudar de vida não me motiva a jogar. E também não quero saber de morrer por isso.

Dinheiro é uma coisa miserável, desprezível, tem que se livrar dele logo. Por isso, eu gasto.

Resolvido.

Sábia comunidade de um dos filhos de Dr. Google, o Orkut:

"Sou pobre, não me seqüestre".

Depois de postado: Num é que o dinheiro do prêmio já deu problema?

Ensina-me?

O Departamento de Trânsito do DF (Detran) finalizou o projeto do Programa de Educação para o Trânsito, a ser implantado no ensino público local. O programa, sobre regras e condutas no trânsito, deve começar gradativamente este ano e começar com força total em 2008.

Amém, preces atendidas. As escolas Brasil afora ensinam muita coisa inútil, culpa de um sistema educacional ineficiente. Elas, em sua maioria, atendem à demanda dos vestibulares e não preparam os alunos para situações cotidianas.

Em vez de aprender matrizes e determinantes em matemática, por que não aprofundar o estudo em juros, inflação e bolsa de valores? Por que nos prendermos a anáforas e não estimular a prosa e poesia? Por que estudarmos esponjas e não detalhar o combate a doenças?

O que o estudante aprende na escola serve, praticamente, para preencher uma bolinha preta numa prova semestral. Mas há um universo de conhecimentos desperdiçados, e extremamente úteis, a serem explorados.

Deveríamos aprender, desde cedo, sobre o trânsito, educação sexual, jardinagem, culinária, funcionamento da Administração Pública e economia. O deputado distrital Antônio Reguffe prometeu em campanha sugerir a criação da disciplina "Leitura de Jornais" nas escolas. Vamos, deputado, faça-o! Já imaginou propiciar a crianças e adolescentes o hábito da leitura e da busca por informação?

E não me venha com o argumento de que "não é de interesse dos políticos..." Isso não me importa. Devemos pressionar as autoridades competentes pelo que queremos e achamos produtivo para o país.

Pois, pra mim, a maioria das aulas que tive só serviu pra passar num vestibular, o que qualquer cursinho resolve em 6 meses. Não é preciso ficar 11 anos nas escola.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Torço pelo fracasso de brasileiros

Calma. Pelamordedeus.

Não me refiro aos brasileiros em geral (repare, no título, na preposição "de"). Refiro-me aos jogadores de futebol que saem precocemente do país. Precocemente mesmo!

Na primeira metade do século passado, jogar fora era extremamente difícil. Evaristo de Macedo, hoje técnico e na época no Barcelona, foi um dos poucos a conseguir. Já na segunda metade, principalmente a partir dos anos oitenta, apenas os melhores dos melhores jogadores de futebol brasileiros saíam (e depois de muito sucesso aqui no país). Zico e Falcão são exemplos.

E eles jogavam apenas nos melhores centros europeus: Itália, Portugal e Espanha principalmente. Já Nos anos noventa, a moda na Europa passou a ser sempre ter o seu brasileiro no time. O próprio Barcelona teve, de 1994 a 1999, em temporadas diferentes, Romário, Ronaldo, Geovani e Rivaldo. Mais recentemente, já nos anos 2000, Ronaldinho e Belletti (fora Motta, Rochemback e outro Geovani).

Mas agora esculhambou. O Milan, da Itália, tem oito brasileiros. Pepe e Deco, brasileiros de nascença, jogam até por outra seleção nacional, a portuguesa. Países sem tradição no futebol também levam jogadores à vontade: Oriente Médio, Japão e Leste Europeu.

Vender jogadores no Brasil tornou-se uma monocultura. A demanda é constante e a produção, para atender àquela, passa a exportar meninos! Alguns até mais jovem que este que vos escreve (19 anos).

Claro que impedir esse êxodo é complicado. E como depender das autoridades (governo e CBF) é perder tempo, torço para que esses jogadores precoces não façam sucesso fora. Comprove-se que eles não estão prontos pra sair. Europeus, insatisfaçam-se e mande-os de volta para os nossos gramados.

Pato, Lucas e William são exemplos. Todos eles da seleção sub-20. William já se encantou com carros de luxo e jatinho. Fora a mudança repentina no bolso, eles sofrerão com choque de cultura e pressão para retornar o grande investimento feito. Que cabeça têm eles para suportar isso?

Às mulheres com celulite

A atriz Bárbara Paz estampa este mês a capa da revista Playboy. O ensaio substituirá o de Mônica Lewin... Veloso! Mônica Veloso. As fotos da jornalista supostamente não ficaram prontas a tempo.

Vai ficar bonito, com certeza. Porém, não vejo o sentido em comprar fotos banhadas em Photoshop, programa de computador com o qual pode-se manipular imagens. Com esta ferramenta, é possível bronzear a pele da modelo, aumentar suas medidas e até apagar seu umbigo se for necessário.

Pelo menos, a revista apresenta textos inteligentes, entrevistas. Palavras. Muito mais belas que as imagens alteradas.

Quanto às mulheres, prefiro as de verdade. Não as Amélias, mas as que são bonitas ao acordar, quando levam o lixo pra fora e quando estão de TPM. Até mesmo uma leve (repito, leve) celulite tem o seu charme.

domingo, 2 de setembro de 2007

Convocação para a greve

Amanhã a Universidade de Brasília retoma suas aulas, com o calendário aparentemente organizado e fiel ao ano civil (a previsão de término é para o dia 19 de dezembro).

Os servidores saíram da greve, os estudantes nem entraram. Tudo bem?

Saibam, eventuais leitores, que este que vos escreve é contra greves em geral. Mas já que é pra fazer, façamos uma greve integrada, servidores, alunos e professores. Agora que os docentes se mobilizaram os servidores saem? E onde estão representantes dos estudantes: UNE-DF, DCE e Centros Acadêmicos?

Novamente, os servidores saem de mais uma greve sem todas as reivindicações atendidas, os professores ameaçam entrar em setembro e os problemas das universidades públicas continuam. Oras, vamos fazer uma greve para resolver tudo! Enquanto não tivermos um projeto a longo prazo para o ensino superior nacional, fiquemos parados!

Senão eu vou ter que repetir esse comentário na greve de 2009.

sábado, 1 de setembro de 2007

A educação nesse país

A professora da primeira série do ensino fundamental entrega para os alunos o seguinte exercício:

Está entre:

a) 20 e 22:___
b) 69 e 71:___
c) 35 e 37: ___

Seguro, o aluno, de sete anos, responde:

a) e
b) e
c) e

E ainda pergunta para a mãe, indignado: "Manhêê, por que a professora passou um exercício cuja resposta é sempre a mesma?"

Em "A educação nesse país", vou contar situações interessantes sobre o que acontece nas salas de aula do Brasil.

A carapuça serviu

A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) pediu ao senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) explicações sobre o termo "boneca", usado por ele numa discussão com o senador Almeida Lima (PMDB-SE). Segundo a Folha Online, a associação ainda quer que Tasso integre a frente parlamentar pela cidadania BGLT.

E se Tasso não quiser eles vão fazer o quê? Exigir sua cassação por quebra de decoro? E há decoro quando homossexuais se vestem de noivas e agem exageradamente em suas paradas?

De quebra, a ABGLT ainda quer uma legislação que criminalize a homofobia. Porém, o começo do artigo quinto da Constituição Federal já diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza.

Agora só falta exigir direito de resposta nesta Cova. E o terão, de bom grado.