quarta-feira, 30 de abril de 2008

Em respeito ao fiel leitor

Há casos os quais não comento neste blog por respeito ao leitor, ao interesse público e aos envolvidos no comentário. Existem também situações raras as quais eu cito apenas para começar e imediatamente encerrar a questão. Citarei nesta postagem alguns exemplos para que você não se pergunte o por quê de eu não falar deles.

- Caso Isabella (André Rocha resumiu o que eu acho em uma postagem anterior);

- O que jogadores de futebol fazem na vida privada (como o Ronaldo);

- Bobagens como "terceiro mandato".

terça-feira, 29 de abril de 2008

Dizia Shakespeare

Às portas do dia do trabalhador, saí da estação do metrô na 208 sul para mais um dia de trabalho. Caminhei agradáveis quinze minutos nas verdejantes quadras brasilienses. Pensava no próximo caso da história de Artúrio Matim, que você, fiel leitor, vai ler na próxima semana.

Tudo muito bem até que deparei com elas.

Encararam-me. Minha reação foi confiar na elegância e urbanidade de moradores do Plano Piloto e com a delicadeza do sexo feminino. Ledo engano.

Avançaram uma de cada lado, uma delas mais agressivamente. Sitiaram-me! Partidário da paz que sou, de natureza mansa, mantive a defensiva. Porém, só não fui agredido devido àquela que pensei ser uma salvadora.

- Catarina! Pare com isso!

A cadela domada. Vadia, vagabunda, sacripantas! Mesmo com a presença de uma superior, ela não parou. Pior, atacou-me pelas costas e atingiu minha perna.

Catarina, uma cadela de madame, mordeu a minha perna.

Sim, jornalista, sim, eu sei que a notícia seria eu morder a cadela, mas não me rebaixaria a tal ponto. Não me compare a Tatum.

Por isso eu prefiro os felinos. Se fosse uma gata no lugar da cadela, estaria dormindo ou caçando ratos ou dormindo.

PS 1: Sempre que for mordido por um cão, tente verificar com o eventual dono se o animal está vacinado contra raiva (repita o procedimento em caso de ataque viperino - verifique se a dita cuja é venenosa). SEMPRE PROCURE UM POSTO MÉDICO PARA SER ORIENTADO. Mantenha suas vacinações em dia, facilita muito para os agentes de saúde na hora de te atender. Lave a ferida com sabão NEUTRO logo após a mordida.

PS 2: Se você tiver um cão em casa, livre-se dele. Opte por peixinhos de aquário.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

O encarecimento do metro cúbico de ar

O biocombustível é uma fonte de energia renovável, pouco poluente e que não exige desvio de terras voltadas ao plantio de alimentos, logo, não faz sentido associar etanol com comida cara.

O Brasil não atingiu seu potencial máximo de plantações de álcool e países africanos e latinos têm muita terra a ser plantada, vide Gana, que exportará para a Suécia.

Por outro lado, o petróleo não se renova, é extremamente poluente e exige esburacar a camada de ozônio. E custa o olho da cara.

Brasileiros malvados...

A enfermeira novata

Quando se encerra a carreira de Lílian Matim

Nada dava mais prazer a Lílian Matim do que trabalhar no Hospital Brasiliense para Mulheres. Ela detestava tratar homens, achava-os nojentos, pervertidos e repugnantes. Por isso, levou seu currículo para a Dra. Carminha, que veio a ser sua chefe.

Agora, Líliam cuida dos corações de mulheres enfartadas, obesas, hipertensas, acidentadas e/ou apaixonadas. Trabalhava com outras 15 médicas no departamento de cardiologia e com 25 enfermeiras.

Naquela manhã, treinava uma enfermeira nova, quase muda. Lílian podia jurar que ela mal falava português. Afastou os pensamentos quando a novata adentrou a sala de recuperação. Ela estava de luvas, ao contrário da maioria das iniciantes, que, incrivelmente, esquecia de calçá-las.

"Bom dia!", saudou Lílian. "Vou orientar você durante a fase de adaptação, certo? Vamos começar com a injeção pós-operatório. Aplique-a na paciente, sim?"

A enfermeira encheu a seringa com o conteúdo indicado.

"Deve-se tomar cuidado para não confundir a paciente. Essa solução na mulher errada pode matar".

Próxima à mesa, a enfermeira parou. Olhou Lílian nos olhos e, repentina e habilmente, espetou o braço da médica, injetando todo o conteúdo. Sequer se deu o trabalho de tirar.

Sem reação, Lílian sentou-se, tonta. Seis segundos depois estava morta.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

ONU: Distância entre ricos e pobres diminui

Fale isso para o sertanejo nordestino.

Fale isso para a mãe africana que vê seu recém-nascido com AIDS.

Fale isso para o trabalhador chinês.

Fale isso para o palestino.

Fale isso para o faminto haitiano.

Fale isso para a parte da Venezuela que não nada em petróleo.

Não fale nada. Cale a boca e faça alguma coisa.

O que realmente importa

Torci para que PT e PSDB se juntassem sob uma candidatura do PSB em Belo Horizonte. Seria o fortalecimento de Ciro Gomes e Aécio Neves, evitando engrandecer José Serra. Não deu.

Os partidos deveriam divergir baseado em convicções, não em birras. Se um partido aliado diverge ideologicamente, ele deve votar contra o governo, oras. Assim como se um oposicionista concorda com a situação, vote com a situação.

O PT e o PSDB mineiros concordaram, então, unam-se! Alguém abra os olhos da executiva nacional petista (tomara que o Lula consiga).

O tucanato e o PT não nasceram da mesma mãe, mas são irmãos adotivos, quase gêmeos. O programa de governo é muito similar. Daí, em vez de se matarem na politicagem e obstruírem pautas legislativas e projetos de interesse nacional, deveriam se unir.

E deixar demônios e metidos a comunistas falando com o Batman.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Aqueles que considero os cinco maiores intelectuais do mundo

A revista americana Prospect vai eleger os cinco maiores intelectuais do mundo. A votação será feita por leitores da publicação, a partir de uma lista com 100 nomes indicados.

FHC é o único brasileiro candidato. Há nomes como o do ativista do ambiente Al Gore, do papa, do xadrezista russo Garry Kasparov e do famoso advogado paquistanês Aitzaz Ahsan.

É uma excelente oportunidade para fazer uma listinha. Segue abaixo os cinco maiores intelectuais do mundo segundo este coveiro:

5º lugar O mesopotâmico que inventou a cunha, forma rudimentar de registrar dados que originou o modo de escrever atual

4º lugar Zeus, o deus que jogou um raio num galho e mostrou o fogo ao homem

3º lugar O cristão farrista que inventou o purgatório. Nada como viver desregradamente, rezar e pagar os pecados sem ir para o inferno

2º lugar Cristovam Buarque e Lauro Morhy, criadores do vestibular seriado da Universidade de Brasília

1º lugar O cidadão brasileiro, que inventa todos os dias um jeito de sobreviver

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Estação 108 Sul aprovada

Ontem pude embarcar e desembarcar na nova estação do metrô na Asa Sul, na quadra 108/208. Ela é ótima, posicionada entre a 114 Sul e o Setor Bancário Sul, preenchendo uma lacuna importante na Asa.

E basta. Não é preciso mais estações por essas bandas, aliás, pode tirar a inútil estação "Asa Sul". Colocar paradas na 102,104, 106, 108, 110, 112 e 114 é abusrdo. Pode-se perfeitamente caminhar da 108 para a 104, da 114 para a 110, da Galeria dos Estados para a 102. Sem falar das inúmeras interrupções das futuras viagens se houverem pontos tão próximos.

A curto prazo, o metrô precisa de mais vagões. Num futuro próximo, de enchê-los, maximizar o uso do transporte. Em alguns anos, a meta deve ser estações na Asa Norte, em Taguatinga Norte e as Regiões Administrativas ainda não contempladas.

terça-feira, 22 de abril de 2008

O detetive e o italiano

"O grande criminoso é extremamente simples"

Se Deus tivesse feito os homens para se decomporem em perfume, Ryan Matim não teria sido encontrado.

Foi uma vizinha que percebeu o mal cheiro e chamou a polícia. Os peritos ficaram boquiabertos, o único rastro deixado foi o corpo.

Sem digitais, sangue, pedaço de roupa. Nada.

Dada a complexidade, o caso ficou nas mãos do detetive Tavares. Ele nunca deixou um caso sem resposta, seguia um raciocínio muito simples para eliminar suspeitos e pensava muito rápido. Não havia o que desviava sua atenção do trabalho, sua concentração, seu faro. Exceto Daniele.

Daniele Scarloti é um heterossexual siciliano homofóbico. Tudo o que fez na vida está descrito em um livro, o Código Penal. Para se livrar das enrascadas, cedeu ao seu preconceito favorito e virou amante de Carlos Tavares.

Tavares prendeu Scarloti quatro anos atrás por matar em série 27 homossexuais na cidade de São Paulo, mas apaixonou-se a primeira vista. Desde então, passou a acobertar todos os crimes do italiano. Um crime impune deixava o detetive furioso, mas a perspectiva de perder Scarloti o deixava em pânico. Além do mais, o amante ajudava-o a solucionar outros casos. Este conhecia todo o tipo de gente no submundo.

O crime da vez era daqueles especiais: sem rastros, sem pistas. "O grande criminoso é extremamente simples", escreveu uma romancista policial da qual Tavares gostava. A porta do apartamento de Ryan Matim não fora arrombada e ele morrera estrangulado, o que não exige armas e não deixou sangue.

Deitado em sua cama, com Scarloti, nu, fumando numa cadeira, Tavares desatou a pensar na solução.

- Para haver um crime, são necessárias quatro coisas: um motivo, uma oportunidade, capacidade e um corpo - começou o detetive, falando mais para si do que para o italiano. - O corpo já temos, mas não há indícios. Os motivos podem ser os mais diversos. A questão é quem teria oportunidade e capacidade para um assassinato tão sorrateiro?

- Sem chave, somente um profissional passa por portas sem arrombá-la - afirmou Scarloti. Ele gostava de brincar de bonzinho. - Isso é coisa de cachorro grande.

- Então há dois criminosos: o mandante e o executor. Gente notória não suja as mãos. Pense, querido, que assassino de aluguel teria tal capacidade? Com essa resposta, cruzamos com os motivos.

- O cara fazia reportagens que ferravam muita gente.

- E diluía a herança com as irmãs. Lara e Lílian Matim são as primeiras suspeitas. Quem faria esse trabalho para a família Matim?

- Doris Maximilliano Abastos - respondeu o italiano, de imediato. - Mas ele é burro demais para um crime tão bem feito. Deixaria a própria foto de pista para a polícia.

- Descubra também se Artúrio Matim tinha rixa com o filho.

- O ricasso? Tinha. O cidadão trabalhava para o pai e o deixou na mão para trabalhar na imprensa privada.

- Três suspeitos definidos. Vou levantar os prejudicados com as matérias de Ryan. Descobrirei o mandante e você o executor.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Outras verdades sobre Palmeiras e São Paulo

* Os times foram totalmente parelhos. A defesa do São Paulo batia o ataque palmeirense e o meio do São Paulo fazia questão de matar o próprio ataque.

* A única diferença foram os goleiros. Rogério Ceni falhou no primeiro gol, assim como falhou durante o jogo. Marcos, por outro lado, jogou como o goleiraço que é. As chances, majoritariamente, foram todas de fora da área. Marcos espalmou, Rogério foi vazado no meio do gol.

* O meio são-paulino esqueceu Dagoberto. Este teve apenas uma jogada em velocidade, foi pouco acionado. Conseqüentemente, Adriano recebeu poucas bolas, as que teve estava na intermediária, marcado, onde não é útil.

* As duas partidas mostraram que o time do Palmeiras não é nada demais. Diego Souza e Valdívia não fizeram nada. O segundo gol só aconteceu porque o São Paulo se expôs em busca do resultado. Alex Mineiro e Kléber é um dupla de ataque como a do Cruzeiro, do Internacional, do Fluminense. Como a do São Paulo. O destaque mesmo é o goleiro Marcos e o volante Pierre. Os demais são bons jogadores. Só.

* 2008 é ano para o tricolor juntar os cacos.

* Apostei na classificação do São Paulo. Melhor parar com palpites.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Eu não me expressaria melhor sobre esse assunto do que André Rocha

Do Futebol&Arte.

ATÉ QUANDO?

Até quando vai durar a curiosidade mórbida de quem se "descobre" investigador do dia para a noite?

Até quando vão insistir nessa necrofilia, esse hábito de querer olhar a morte de todos os prismas?

Até onde vai esse desejo de justiça precoce, essa condenação antecipada e aditivada pela imprensa, que ultrapassa todos os limites do bom senso e da razoabilidade, reduzindo uma tragédia familiar a um espetáculo?

Outros tantos crimes misteriosos e hediondos acontecem em todas os segmentos sociais, mas quando ocorrem na classe média alta, o interesse aumenta. Os mais pobres e sádicos sentem um estranho prazer em ver a desgraça atingir os mais abastados e muitos ricos disfarçam a indiferença, mas se comprazem com a infelicidade dos "metidos a emergentes".

Entre eles, algumas almas menos endurecidas que apenas sentem de coração a dor da família, muitos até por experiência própria, e outras por um temor psicológico de estar no lugar dos envolvidos.

Apesar de tratar da morte de uma criança, ainda é um caso para a polícia resolver, por mais fria que essa afirmação possa parecer. E deveria se ater às páginas da respectiva seção nos jornais e no noticiário.

Com a mídia onipresente, a divulgação e a dissecação até a exaustão desse caso devem durar até surgir outro com cheiro de novo, com personagens diferentes e uma trama mais interessante.

É o reality show levado às últimas consequências, onde o sorriso inocente da pequena Isabella é o pano de fundo para uma obsessão efêmera, que preenche o vazio de muita gente com o das pessoas que realmente amavam a menina. Retrato triste de uma época em que tudo é notícia, sem filtros, sem compaixão, onde a ética passa ao largo.

Até quando?

terça-feira, 15 de abril de 2008

Assista custe o que custar

A TV Bandeirantes estreou no mês passado o ótimo Custe o que custar (CQC). O programa satiriza tudo o que puder, principalmente políticos.

Há duas vertentes principais na atração: alguns quadros zoam por zoar, para fazer graça, mas por pura brincadeira; outros pegam no pé de autoridades públicas e exigem que os problemas da comunidade sejam resolvidos. E vão conferir se realmente foram.

O melhor dos jornalistas mais sarcásticos da televisão brasileira é o Danilo Gentili, o repórter inexperiente, que precisa da ajuda do entrevistado, de ler as perguntas no ar e esquece-se de passar o microfone para a pessoa falar. Esse é o besteirol.

No outro tipo de quadro, eles realmente fazem a pergunta que você sempre quis fazer. Arlindo Chinaglia, presidente da Câmara dos Deputados, teve que ouvir: "a reforma tributária vai resolver a sonegação fiscal? Inclusive feita por políticos?" Chinaglia respondeu: "Inclusive, vai resolver a sonegação fiscal feita por jornalistas." No que o repórter finalizou: "mas eu não fui eleito para ser jornalista."

Depois disso, o CQC foi impedido de entrar no Congresso Nacional, na casa do povo, aquela que consagrou o direito à liberdade de informação, de expressão e de imprensa. O repórter, indignado, perguntou: "se o Collor, que foi cassado, continua aí, por que eu não posso entrar?"

O momento nobre fica por conta do "Proteste Já". São reportagens que mostram problemas na cidade e que são responsabilidade do governo. O programa combina um prazo para solução da questão. E vão lá ver se o problema foi resolvido.

Ontem, o repórter mostrou a solução da falta de transporte escolar para um grupo de crianças com direito ao auxílio da prefeitura. Conseguiram, mas ao final da matéria mostraram outras tantas que continuam a pé no trajeto casa-escola.

Confira: CQC, na Band, às segundas (22h15) e com reprise às quartas (23h45).

David Renault, professor de jornalismo da UnB: "Os estudantes não têm o monopólio da democracia"

Obrigado, professor, por traduzir o que eu penso.

Invadir a reitoria não faz mais sentido. Chega de holofotes e de atrapalhar os serviços da universidade.

A luta pela paridade deve continuar no diálogo, na conversa, nas reuniões do Conselho Universitário.

PS: O jornal Campus, feito pelos alunos de jornalismo da UnB, foi chamado por integrantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE) de petista e burguês. Os representantes discentes acusam o Campus de antecipar a invasão da reitoria.

Oras, não foi isso que aconteceu? Quando a atual gestão do DCE foi eleita, um dos gritos de guerra era: "Timothy, pode esperar, a reitoria eu vou ocupar".

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Algumas verdades sobre Palmeiras e São Paulo

* O São Paulo jogou melhor.

* Não foi pênalti para o Palmeiras. A queda de Kléber é desproporcional à dividida de Alex Silva, logo, compensa o gol de Adriano.

* Adriano mostra o excelente centroavante que é.

* Pierre faz mais falta ao Palmeiras do que Richarlyson e Zé Luís ao São Paulo. A surpreendente volta de Alex Silva e um lateral de volante garantem o meio tricolor. Não precisamos de Fábio Santos.

* Valdívia e Pierre deveriam ter sido expulsos.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Também elogia-se

Por mais que a invasão da reitoria da UnB seja uma maneira de alguns se promoverem ou fazerem arruaça, o fato banha-se de pontos positivos.

Ao pressionar da maneira errada, os estudantes forçaram o afastamento de Timothy Mulholland. Porém, evidentemente, o reitor é um bode expiatório de uma estrutura que pisa na ética ao usar dinheiro público. Então, a saída dele não basta, daí a importância de exigir que o vice e os demais administradores também saiam.

Mudar o sistema eleitoral é outra iniciativa louvável. Não faz sentido o voto dos professores terem muito mais peso que o dos alunos e servidores na escolha do magnífico.

O terceiro ponto fundamental é a contratação de professores. Cumpra-se. Esse é um dos maiores problemas da universidade.

Juntar ao invés de separar

Ver hoje o principal prédio da UnB abarrotado, o Instituto Central de Ciências, é maravilhoso. Isso é uma manifestação democrática, pacífica e legítima. Saiam da reitoria, permitam que os serviços voltem.

A partir de agora, não se pode esmorecer. O movimento deve durar até que as exigências sejam atendidas. E para fortalecê-lo usemos as assembléias (sem a maioria, mas usemos), as passeatas, não as invasões. Vamos dar as mãos aos professores e servidores. Impedi-los de trabalhar é um erro, é contradição.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Bodas

- Quer casar comigo?

"Não, não. Não tá bom. Deixa eu fazer de novo?" Ajeita o cabelo.

- Quer casar comigo?

Muxoxo. "Espera! Me dá (dá-me) só mais uma chancezinha..." Cara de pidona.

- Quer casar comigo?

Metido a sensual demais, quase vulgar. O espelho não se deu ao trabalho de responder. Sentou-se na tampa do vaso, segurou o rosto com as mãos e exclamou qualquer coisa.

"Ele não vai aceitar um pedido desses. Uma mulher! Mulher pedindo o casamento!" Apoiou a cabeça na parede e fechou os olhos. Suspiro.

Um ano atrás ele a pedia em casamento. Recusara. Era nova demais, livre demais, estressada demais. E ele... ele... é um rapaz maravilhoso, bonito, inteligente, legal. Meio bobalhão, às vezes, mas uma ótima pessoa. Por que diabos não servia?

Servia. Acabou a vida desregrada. Vai pedi-lo em casamento hoje.

"Um cigarrinho antes para tomar coragem." Desistiu. "Vinho". Desistiu. Chave do carro e rua.

Perdeu a oportunidade de atropelar três pessoas e dois pombos, avançou um sinal vermelho e passou em todos os pardais no limite, 10% acima da velocidade máxima permitida.

Estacionou de qualquer jeito, não fechou o carro. Aliás, deixou a chave na ignição. Deixou o calçado, detesta salto alto. "Um cigarrinho". Desistiu.

Dedo na campainha. Desistiu. Desistiu quatro vezes. Tocou.

Desistiu, mas voltou. Um minuto depois uma mulher da mesma idade abre a porta, vestida com uma camisa masculina amarrotada.

- Pois não?

Empurrou-a com o braço ("bruaca, jararaca, megera, vadia, bandida, mocréia") e seguiu o barulho de um chuveiro. Passou de uma vez pela porta entreaberta, abriu o box (cega pelo vapor) e encarou o cidadão ainda ensaboado. Vestida.

- Pergunta o que você me perguntou um ano atrás.

Casaram-se três semanas depois e tiveram três filhos.

Fechem as cortinas

Não há mais motivo para a espetacularização na reitoria da Universidade de Brasília. Chega de batuque, cantoria, churrasquinho e palavras de ordem. O reitor se afastou, o Ministério Público denunciou. Voltemos à normalidade.

É inadmissível que a imprensa sujeite-se aos manifestantes. Que entre e saia apenas quem eles querem. A moda nas últimas horas é barrar os alunos de Comunicação Social - Jornalismo. Sem falar do desrespeito à manifestação dos servidores contra a invasão. Por que foram impedidos de entrar no prédio? A reitoria é tão deles quanto nossa.

Os movimentos estudantis podem agora pressionar o Judiciário para a rápida solução do caso. É gravíssima a denúncia do Correio Braziliense relativa aos bufês pagos com dinheiro da saúde. O que não impede de os serviços prestados pela reitoria voltarem.

PS: Invadam o Congresso Nacional até que todos os deputados acusados de crimes renunciem.

quarta-feira, 9 de abril de 2008

[Movimento Estudantil] Irresponsabilidades

Relato de um(a) conhecido(a) impedido(a) de trabalhar na reitoria da Universidade de Brasília:

"Eu vi um estudante chutar uma lixeira. O pé até ficou preso nela. Outros manifestantes, pasmos, questionaram:

'- Que isso? O movimento é pacífico!'

'- Eu sei - respondeu o vândalo. - Mas como não acontece nada nessa reitoria, eu precisava fazer alguma coisa.' "

O episódio me remeteu aos caras-de-pau-pintadas, da época do Collor. Um repórter perguntou a um deles o que ele fazia ali. Eufórico, respondeu:

"Não sei".

Instituições democráticas

O Correio Braziliense de hoje está excelente. No editorial, coloca que as instituições democráticas devem ser respeitadas e merecer confiança. E estampa na capa a denúncia do MPF contra Timothy Mulholland.

Ou seja, não precisa depredar patrimônio público, impedir o trabalho dos outros. Basta deixar os órgãos de investigação cumprir sua função e esperar a decisão judicial. Ao contrário do que era na ditadura militar.

Tráfico acadêmico

Estive na reitoria há pouco. Os manifestantes fazem uma barricada na rampa de acesso aos andares superiores. Como traficantes na base do morro. Enquanto os demais estão na aula, fazem uma universidade paralela.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Artúrio deserda um filho

Quando a herança de Matim se restringe às gêmeas

Sozinho na redação do jornal, com apenas um abajur ligado e a luz da lua, Ryan Matim analisava uma pilha de documentos sobre a mesa. Um dossiê como aquele, passado por um senador da oposição, poderia render muitas matérias e muita publicidade para o nome dele. Quiçá um Esso.

Mas estava exausto. Tinha a filosofia de não trabalhar com sono, cansaço ou fome, pois sabia que renderia menos. Colocou a preciosidade debaixo do braço, desligou o computador e terminou de mastigar o sanduíche de queijo, presunto e alface.

Precisava de espairar. Espairar = bebida + mulheres. Pensou numa oriental que não havia levado para a cama ainda. Sim, seria uma boa.

Dirigiu até em casa, estacionou mal e porcamente e subiu as escadas. Fez uma anotação mental de comprar um apartamento melhor, num prédio com elevador.

Guardou a papelada cuidadosamente num armário com tranca. Esvaziou os bolsos, tirou os óculos e começou a tirar a camisa para tomar um banho.

A peça de roupa era do tipo que não se abotoava, mas de tirar por sobre a cabeça, erguendo os braços e encobrindo o rosto por alguns segundos.

A última coisa que Ryan viu na vida foi a cor vermelha da parte interna da camisa.

Mãos seguraram seu pescoço e o derrubaram no chão. Cego pela camisa, o rapaz debateu-se sem saber de onde vinha o ataque. A roupa impedia a troca de ar, o estrangulador se certificava de unir as paredes da traquéia.

Lutou em vão. De bruços, não podia atingir o inimigo deitado nas suas costelas. Esmurrava e chutava apenas o chão.

O estrangulador deixou o defunto onde estava, do jeito que estava, trancou a porta com a cópia feita diretamente da porta por um chaveiro qualquer e sumiu com a chave original.

O corpo foi encontrado três semanas depois.

[Movimento Estudantil] Calourada versus Assembléia

A primeira Calourada de 2008 na UnB juntou muito mais do que os 1200 estudantes presentes na última Assembléia do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

A Calourada custou a partir de R$ 15,00 de ingresso. A Assembléia era de adesão gratuita.

Um movimento que sequer junta 10% dos "representados" não tem legitimidade. E não me venha com esse papo de apatia da maioria. Não comparecer mostra insatisfação com as atuais diretrizes do Diretório.

O que eu faço para melhorar a sociedade? Freqüento minhas aulas, estudo e trabalho.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

[Cobertura em tempo real] Obrigado, meu Deus, por me permitir vivenciar isso e chorar de rir

Do CorreioWeb (os grifos em negrito são deste coveiro):

Policiais federais são chamados para retirar alunos da reitoria da UnB

"Os estudantes da Universidade de Brasília (UnB) não acataram a ação de reintegração de posse ajuizada pela juíza substituta da 17ª Vara Federal, Cristiane Pederzolli Rentzsch,na tarde desta sexta-feira. No documento, a juíza pedia, em caráter de urgência, que os 100 estudantes desocupassem o gabinete do reitor Timothy Mulholland no prazo de uma hora. Já passava das 16h30 e os manifestantes permaneciam no local. Como penalidade, será cobrado multa no valor de R$ 5 mil por cada hora de atraso.

...

'A multa não pode ser cobrada do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Esta é uma organização espontânea de todos os estudantes. Não temos nenhuma entidade estudantil à frente da manifestação', afirma a coordenadora geral do DCE, Luiza Oliveira. "

Uai. UAI! Onde está a resistência estudantil? Honestino Guimarães enfrentou uma polícia que batia e não apenas cercava, vocês estão com medo de multa?

Agüentai-vos bravamente! Na USP durou dias, vocês não podem fraquejar!

Esses catalães são loucos*

Um clube que despreza, trata mal, não dá suporte a um jogador como o Ronaldinho está doido de pedra. Nunca fui um entusiasta da corrente que coloca o gaúcho como um dos melhores de todos os tempos, mas certamente o é nos últimos vinte anos.

Ronaldinho encanta, brilha como futebolista. Os três chapéus contra o defensor do Athletic de Bilbao, o recente gol de bicicleta, filas de dribles, passes que consagraram o limitado Eto'o. O meia é fora de série.

Antes de 2005, o São Paulo escorraçou Júlio Baptista, Kaká e Luís Fabiano. Uma insanidade endossada pela torcida mais burra do Brasil. O Barcelona faz o mesmo, é uma indústria de futebol, imagem e novidade.

Em breve, Messi não vai servir mais, será o Bojan a bola da vez (o mexicano Dos Santos já sumiu). Depois serão os jovens Oscar (São Paulo) e Tales (Internacional)? Os netos de Pelé (há quem queira fazer contrato com eles, os quais não nasceram ainda)?

PS 1: Sempre achei o Kaká melhor que o Ronaldinho.

PS 2: Cristiano Ronaldo é o atual melhor do mundo.

*PS 3: Com os devidos créditos a Vítor Noronha Matos.**

**PS 4: Com os devidos créditos a Asterix e Obelix.

Já falei do quanto gosto de listas? Seguem os melhores do mundo:

1 - Casillas (espanhol, Real Madrid)
--------------------------------------------------------------
2 - Daniel Alves (brasileiro, Sevilla)

5 - Ferdinand (inglês, Manchester United)

4 - Juan (brasileiro, Roma)

3 - Lahm (alemão, Bayern Munique)
---------------------------------------------------------------
8 - Gerrard (inglês, Liverpool)

21 - Pirlo (italiano, Milan)

22 - Kaká (brasileiro, Milan)
---------------------------------------------------------------
7 - Cristiano Ronaldo (português, Manchester United)

19 - Messi (argentino, Barcelona)

11 - Drogba (marfinense, Chealsea)

[Movimento Estudantil] Delendum Timothy

Estive há pouco na reitoria da Universidade de Brasília. Um grupo de alunos QUE NÃO REPRESENTA OS ESTUDANTES, NÃO REPRESENTA PORCARIA DE MOVIMENTO ESTUDANTIL ainda estava lá plantado para garantir a saída do reitor Timothy Mulholland.

A Polícia Federal continua lá plantada para garantir que ninguém mais entre e o reitor permanece plantado no cargo. Mais um bocado de universitários colegiais, infantis, desocupados, arruaceiros está do lado de fora, com palavras de ordem e cartazes sugerindo a saída do magnífico (que não cometeu ilegalidade alguma até o momento).

Em nota oficial, a reitoria afirma que a porta do gabinete de Mulholland foi arrombada. Em resposta, um estudantezinho barato metido a líder, brincando de comunismo, reconheceu o arrombamento, mais afirmou que "qualquer chaveiro competente pode consertá-la". Oras, dialeticamente, qualquer médico competente pode salvar uma pessoa de um tiro no braço.

Conheço uma pessoa que trabalha na reitoria (deveria trabalhar, mas os INVASORES não deixam). Ele(a) me disse que a copa do prédio foi depredada. Democraticamente.

Enquanto 100 retardados evocam o nome de Honestino Guimarães (líder estudantil nos tempos da ditadura militar), 29 mil alunos seguem suas vidas, sinucas, fichamentos e estágios.

No frigir dos ovos, acima de tudo, falta elegância. Invasão, piquetes, barulho, tudo ultrapassado. Mas há esperanças, há luz no ambiente universitário. Apesar de eu descordar do escrito, admirei a forma.

Um aluno silenciosamente segurava um cartaz. Erguia-o como o babuíno ergue o Rei Leão. Indignava-se de forma civilizada, urbana. E requintada: em latim.

"Delendum Timothy". Do grego deleka, do aramaico delaros, do inglês to delete. "Timothy deve cair".

O rapaz protestou, pôs seu cartaz debaixo do braço e foi almoçar. No Burger King.

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Komo deveríamos eskrever em língua brazileira

Eu sô um amante da língua portugueza (brazileira). O idioma sende a baze da komunikasão, da konvivênsia, da maioria dos prazeres. Guosto de eskrever, pasar idéias, espresar-me.

Por iso, eu fiko triste kom a doensa ke aflije a minha keridinha. Koitada, os médikos gramatikais fazem kestão de não kurá-la.

Se a letra "S" tem som de "S" (komo sibilo de kobra) e "Z" tem som de "Z" (komo zunido de abelha), por ke "casa" não se eskreve com "Z". Por ke há "XC", "SS", "X"? Se escluísimos estes sons todos, errar "exceção" seria a esesão.

Sem falar em outros benefísios komo a fasilidade kom ke as kriansas aprenderiam e komo seria melhor fazer konkurso públiko.

Por eso, me gusta los españoles. Allá la mayoria de las letras siguen un sólo sonido. Listo. Sin problemas.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Burrice

O DFTV divulgou uma pesquisa do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB) feita em 2006 e 2007 com estudantes da própria instituição. Ela mostra que 22% dos alunos acham que funcionários portadores do HIV devem ser demitidos. Para 15%, crianças com o vírus não devem freqüentar a escola.

Sem dúvida, nós, universitários da UnB, somos a nata intelectual da sociedade.

A parte do leite que se joga fora.

terça-feira, 1 de abril de 2008

À senhora Mentira Falsidade Tapeia

Todos os discriminados têm o seu dia. Vamos louvar a Mentira, coitada.

O filme mais engraçado a que assisti foi "O Mentiroso", com o impagável Jim Carrey. Na arte de mentir temos também "As mentiras que os homens contam", do excelente Luís Fernando Veríssimo.

Platão afirma em "A República" (por que não "A mentira") que ao governante é lícito mentir pelo bem dos governados. Quantos cônjuges não mentiram pelo bem dos companheiros (oras, o próprio PT o fez)?

Não é isso que advogados e jornalistas fazem (é apenas uma pergunta)? Gugu forjou o Primeiro Comando da Capital, Roberto Cabrini diz ter conversado por telefone com o traficante Marcola. Necas. Sem falar nas dúzias e dúzias de culpados inocentes nos tribunais.

A História costuma se contradizer, seja feita pelos vencedores, seja pelos vencidos, seja pelos mentirosos, seja pelos corretos.

Diz a lenda que um grupo de fugitivos, acusados de traição nas respectivas pátrias, pretendia chegar à Cidade da Verdade, onde teriam refúgio. O caminho, porém, era bifurcado: um ia para o destino certo, o outro para a Cidade da Mentira, onde seriam capturados.

Na bifurcação, um elfo os interpelou.

"Olá, caros viajantes. Sou um morador da Cidade da Verdade. Ou será da Mentira? Tentem descobrir para eu indicar-lhes o caminho correto. Vocês têm direito a uma pergunta."

Uma pergunta. Se o elfo fosse da Verdade, não mentiria. Mas e se fosse o contrário?

Horas depois, pressionados pela iminente perseguição, sem arriscar pergunta alguma, a não ser a correta, o jovem príncipe do grupo disparou:

"De onde você veio?"

O elfo apontou um dos caminhos. Se for mentiroso, apontará o contrário, o da Verdade. Se for honesto, apontará a sua cidade natal, a da Verdade.

E foi por lá que eles seguiram.

PS 1: Na verdade (!), o elfo era da Mentira. Ele começou a mentir na proposição do desafio. Os fugitivos chegaram a um pântano.

PS 2: O que foi dito neste post não é necessariamente verdade.