terça-feira, 23 de dezembro de 2008

A Cova está de férias

Voltaremos aos enterros no dia 6 de janeiro.

Até lá a podridão do cotidiano vai ficar exposta.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Obama mostra que não é o messias

Barack Obama admite ser a crise pior do que imaginava.

Antes da posse o futuro presidente americano começa as desculpas. Parece discurso de presidente esquerdista sul-americano, de países de bandeira verde e amarela.

Durante a eleição, promete-se tudo. Após, surgem pretextos para as inecumpríveis promessas de campanha.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Os senadores que votaram a favor da farra dos vereadores

Se algum deles aparecer na urna, rejeite. Marquei em itálico senadores atuantes, que carregam bandeira da ética, que batem no governo. Outros marquei só para lembrar o quanto são pilantras. O resto é só gente pequena desprezível que não faz diferença perante os bandidões do Parlamento.

Retirado do blog da Lúcia Hippolito.

Alagoas

Ada Mello (PTB)
Renan Calheiros (PMDB)

Amazonas

Arthur Virgílio (PSDB)
Jefferson Praia (PDT)

Amapá

Gilvam Borges (PMDB)
Papaléo Paes (PSDB)

Bahia

Antônio Carlos Junior (DEM)
César Borges (PR-BA)

Ceará

Inácio Arruda (PCdoB)
Patrícia Saboya (PDT)
Tasso Jereissati (PSDB)

Distrito Federal

Adelmir Santana (DEM)
Gim Argello (PTB)

Espírito Santo

Gerson Camata (PMDB)
Magno Malta (PR)
Renato Casagrande (PSB)

Goiás

Demóstenes Torres (DEM)
Lúcia Vânia (PSDB)
Marconi Perillo (PSDB)

Maranhão

Roseana Sarney (PMDB)

Mato Grosso

Serys Slhessarenko (PT)
Gilberto Goellner (DEM)
Jayme Campos (DEM)

Mato Grosso do Sul

Delcídio Amaral (PT)
Valter Pereira (PMDB)

Minas Gerais

Eduardo Azeredo (PSDB)
Wellington Salgado (PMDB)

Pará

Flexa Ribeiro (PSDB)
José Nery (PSOL)

Paraíba

Cícero Lucena (PSDB)

Paraná

Flávio Arns (PT)
Osmar Dias (PDT)

Pernambuco

Marco Maciel (DEM)

Piauí

Heráclito Fortes (DEM)
João Vicente Claudino (PTB)
Mão Santa (PMDB)

Rio de Janeiro

Francisco Dornelles (PP)
Marcelo Crivella (PRB)
Paulo Duque (PMDB)

Rio Grande do Norte

José Agripino (DEM)
Rosalba Ciarlini (DEM)

Rio Grande do Sul

Paulo Paim (PT)
Pedro Simon (PMDB)
Sérgio Zambiasi (PTB)

Roraima

Augusto Botelho (PR)
Mozarildo Cavalcanti (PTB)
Romero Jucá (PMDB)

Rondônia

Expedito Júnior (PR)
Fátima Cleide (PT)
Valdir Raupp (PMDB)

Santa Catarina

Ideli Salvatti (PT)
Neuto do Conto (PMDB)

São Paulo

Aloizio Mercadante (PT)
Eduardo Suplicy (PT)

Sergipe

Antônio Carlos Valadares (PSB)
Virgílio de Carvalho (PSC)

Tocantins

João Ribeiro (PR)
Leomar Quintanilha (PMDB)

Os deputados federais que votaram a favor da farra dos vereadores

Se algum deles aparecer na urna, rejeite. Vou dar o exemplo e não mais votar em Rodrigo Rollemberg (PSB-DF). Marquei em itálico deputados atuantes, que carregam bandeira da ética, que batem no governo. Outros marquei só para lembrar o quanto são pilantras. O resto é só gente pequena desprezível que não faz diferença perante os bandidões do Parlamento.

Retirado do blog da Lúcia Hippolito.

Deputados

DEM

André de Paula PE
Antonio Carlos Magalhães Neto BA
Ayrton Xerez RJ
Betinho Rosado RN
Carlos Melles MG
Claudio Cajado BA
Edmar Moreira MG
Eduardo Sciarra PR
Efraim Filho PB
Fábio Souto BA
Felipe Maia RN
Guilherme Campos SP
Jairo Ataide MG
Jerônimo Reis SE
João Bittar MG
João Oliveira TO
Jorge Khoury BA
Jorginho Maluly SP
José Carlos Aleluia BA
José Carlos Machado SE
Júlio Cesar PI
Lira Maia PA
Luiz Carlos Setim PR
Luiz Carreira BA
Major Fábio PB
Mendonça Prado SE
Osório Adriano DF
Paulo Magalhães BA
Ronaldo Caiado GO
Silvinho Peccioli SP
Solange Amaral RJ
Vitor Penido MG
Walter Ihoshi SP

PCdoB

Aldo Rebelo SP
Alice Portugal BA
Chico Lopes CE
Edmilson Valentim RJ
Evandro Milhomen AP
Flávio Dino MA
Jô Moraes MG
Manuela DÁvila RS
Osmar Júnior PI
Perpétua Almeida AC
Vanessa Grazziotin AM

PDT

Arnaldo Vianna RJ
Dagoberto MS
Damião Feliciano PB
Davi Alves Silva Júnior MA
Enio Bacci RS
Giovanni Queiroz PA
João Dado SP
Manato ES
Marcos Medrado BA
Mário Heringer MG
Paulo Pereira da Silva SP
Pompeo de Mattos RS
Reinaldo Nogueira SP
Sebastião Bala Rocha AP
Sérgio Brito BA
Sueli Vidigal ES
Wolney Queiroz PE Abst.

PHS

Miguel Martini MG

PMDB

Antônio Andrade MG
Antonio Bulhões SP
Asdrubal Bentes PA
Bel Mesquita PA
Camilo Cola ES
Celso Maldaner SC
Cezar Schirmer RS
Colbert Martins BA
Cristiano Matheus AL
Edgar Moury PE
Edinho Bez SC
Edio Lopes RR
Edson Ezequiel RJ
Elcione Barbalho PA
Eliseu Padilha RS
Fátima Pelaes AP
Flaviano Melo AC
Flávio Bezerra CE
Francisco Rossi SP
Gastão Vieira MA
Geraldo Pudim RJ
Geraldo Resende MS
Hermes Parcianello PR
Ibsen Pinheiro RS Abst.
Íris de Araújo GO
Jackson Barreto SE
João Magalhães MG
João Matos SC
Joaquim Beltrão AL
Jurandil Juarez AP
Laerte Bessa DF
Leandro Vilela GO
Lelo Coimbra ES
Luiz Bittencourt GO
Marcelo Almeida PR
Marcelo Castro PI
Marcelo Guimarães Filho BA
Marcelo Itagiba RJ
Marcelo Melo GO
Maria Lúcia Cardoso MG
Marinha Raupp RO
Mendes Ribeiro Filho RS
Moacir Micheletto PR
Moises Avelino TO
Natan Donadon RO
Nelson Trad MS
Odílio Balbinotti PR
Olavo Calheiros AL
Osmar Serraglio PR
Paulo Henrique Lustosa CE
Paulo Piau MG
Pedro Chaves GO
Professor Setimo MA
Rita Camata ES
Rodrigo Rocha Loures PR
Rose de Freitas ES
Saraiva Felipe MG
Solange Almeida RJ
Tadeu Filippelli DF
Valdir Colatto SC
Veloso BA
Waldemir Moka MS
Wilson Santiago PB
Zequinha Marinho PA

PMN

Fábio Faria RN
Francisco Tenorio AL
Sergio Petecão AC
Uldurico Pinto BA

PP

Afonso Hamm RS
Angela Amin SC
Antonio Cruz MS
Benedito de Lira AL
Beto Mansur SP
Carlos Souza AM
Celso Russomanno SP
Ciro Nogueira PI
Dilceu Sperafico PR
Eliene Lima MT
João Pizzolatti SC
José Otávio Germano RS
Lázaro Botelho TO
Luis Carlos Heinze RS
Luiz Fernando Faria MG
Nelson Meurer PR
Neudo Campos RR
Paulo Maluf SP
Pedro Henry MT
Rebecca Garcia AM
Renato Molling RS
Ricardo Barros PR
Roberto Britto BA
Sandes Júnior GO
Simão Sessim RJ
Vadão Gomes SP
Vilson Covatti RS
Waldir Maranhão MA
Zonta SC

PPS

Arnaldo Jardim SP
Cezar Silvestri PR
Cláudio Magrão SP
Fernando Coruja SC
Ilderlei Cordeiro AC
Leandro Sampaio RJ
Moreira Mendes RO
Nelson Proença RS
Raul Jungmann PE

PR

Aelton Freitas MG
Airton Roveda PR
Aracely de Paula MG
Bilac Pinto MG
Chico Abreu GO
Chico da Princesa PR
Clodovil Hernandes SP Obstr.
Dr. Adilson Soares RJ
Giacobo PR
Gorete Pereira CE
Jaime Martins MG
João Carlos Bacelar BA
Jofran Frejat DF
José Carlos Araújo BA
José Rocha BA
José Santana de Vasconcellos MG
Jusmari Oliveira BA
Lincoln Portela MG
Luciana Costa SP
Lúcio Vale PA
Marcelo Teixeira CE
Maurício Quintella Lessa AL
Maurício Trindade BA
Milton Monti SP
Neilton Mulim RJ
Nelson Goetten SC
Neucimar Fraga ES
Tonha Magalhães BA
Vicente Arruda CE
Vicentinho Alves TO
Wellington Fagundes MT

PRB

Cleber Verde MA
Léo Vivas RJ

PRTB

Juvenil MG

PSB

Ana Arraes PE
Ariosto Holanda CE
Átila Lira PI
B. Sá PI
Dr. Ubiali SP
Eduardo Lopes RJ
Fernando Coelho Filho PE
Givaldo Carimbão AL
Júlio Delgado MG
Laurez Moreira TO
Lídice da Mata BA
Luiza Erundina SP
Manoel Junior PB
Marcelo Serafim AM
Márcio França SP Abst.
Maria Helena RR
Mauro Nazif RO
Ribamar Alves MA
Rodrigo Rollemberg DF
Sandra Rosado RN
Valadares Filho SE

PSC

Carlos Eduardo Cadoca PE Abst.
Costa Ferreira MA
Eduardo Amorim SE
Filipe Pereira RJ
Hugo Leal RJ
Jurandy Loureiro ES
Mário de Oliveira MG
Ratinho Junior PR
Takayama PR

PSDB

Affonso Camargo PR Sim
Albano Franco SE Sim
Alfredo Kaefer PR Sim
Andreia Zito RJ Sim
Antonio Carlos Pannunzio SP
Arnaldo Madeira SP
Bonifácio de Andrada MG
Bruno Araújo PE
Carlos Brandão MA Si
Carlos Sampaio SP Sim
Duarte Nogueira SP Sim
Edson Aparecido SP
Eduardo Barbosa MG
Fernando Chucre SP
Freire Júnior TO
Gervásio Silva SC
Gustavo Fruet PR
João Almeida BA
João Campos GO
José Aníbal SP
Julio Semeghini SP
Jutahy Junior BA
Lobbe Neto SP
Luiz Paulo Vellozo Lucas ES
Narcio Rodrigues MG
Nilson Pinto PA
Paulo Abi-Ackel MG
Paulo Renato Souza SP
Pinto Itamaraty MA
Professora Raquel Teixeira GO
Rafael Guerra MG
Renato Amary SP
Rodrigo de Castro MG
Saturnino Masson MT
Sebastião Madeira MA
Silvio Lopes RJ
Silvio Torres SP
Vanderlei Macris SP
Waldir Neves MS
William Woo SP
Zenaldo Coutinho PA

PSOL

Luciana Genro RS

PT

Adão Pretto RS
Andre Vargas PR
Angelo Vanhoni PR
Anselmo de Jesus RO
Antônio Carlos Biffi MS
Antonio Palocci SP
Arlindo Chinaglia SP pres.
Assis do Couto PR
Beto Faro PA
Cândido Vaccarezza SP
Carlos Abicalil MT
Carlos Santana RJ
Carlos Zarattini SP
Chico DAngelo RJ
Décio Lima SC
Devanir Ribeiro SP
Domingos Dutra MA
Elismar Prado MG
Fernando Ferro PE
Fernando Melo AC
Francisco Praciano AM
Gilmar Machado MG
Guilherme Menezes BA
Henrique Afonso AC
Henrique Fontana RS
Iran Barbosa SE
Iriny Lopes ES
Janete Rocha Pietá SP
Jilmar Tatto SP
João Paulo Cunha SP
Jorge Bittar RJ Sim
José Eduardo Cardozo SP
José Genoíno SP
José Guimarães CE
José Pimentel CE
Joseph Bandeira BA
Leonardo Monteiro MG
Luiz Bassuma BA
Luiz Sérgio RJ
Magela DF
Marco Maia RS
Maria do Carmo Lara MG
Maria do Rosário RS
Maurício Rands PE
Miguel Corrêa MG
Nelson Pellegrino BA
Nilson Mourão AC
Odair Cunha MG
Paulo Rocha PA
Paulo Teixeira SP
Pedro Eugênio PE
Pedro Wilson GO
Pepe Vargas RS
Reginaldo Lopes MG
Rubens Otoni GO
Sérgio Barradas Carneiro BA
Tarcísio Zimmermann RS
Vander Loubet MS
Vicentinho SP
Vignatti SC
Virgílio Guimarães MG
Walter Pinheiro BA
Zé Geraldo PA
Zezéu Ribeiro BA

PTB

Alex Canziani PR
Armando Abílio PB
Armando Monteiro PE
Arnon Bezerra CE
Augusto Farias AL
Frank Aguiar SP
Jefferson Campos SP
Jovair Arantes GO
Nelson Marquezelli SP
Paes Landim PI
Pastor Manoel Ferreira RJ
Paulo Roberto RS
Pedro Fernandes MA
Sérgio Moraes RS
Tatico GO

PTdoB

Vinicius Carvalho RJ

PV

Antônio Roberto MG
Ciro Pedrosa MG
Dr. Nechar SP
Dr. Talmir SP
Edigar Mão Branca BA
Edson Duarte BA
Fábio Ramalho MG
José F. Aparecido de Oliveira MG
José Paulo Tóffano SP
Marcelo Ortiz SP
Roberto Santiago SP

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Capitão feliz, tripulação furiosa, passageiros apertados

O mapa dos oito mares

No Refante, embarcaram 109 pessoas além da tripulação. Uma pessoa de 70 kg não poderia girar 360 graus por falta de espaço. O maior problema não estava na quantidade de passageiros indicada pelo padre Ernesto, mas nos aposentos exigidos para a cúpula da comitiva. Ernesto instalou-se em um quarto com capacidade para 23 pessoas. Um mongezinho encapuzado, efusivamente elogiado pelo eclesiástico, recebeu um cômodo onde dormiam 14 piratas. As freiras da comitiva tiveram de limpar cada canto do navio a fim de eliminar o mau cheiro, as manchas de gim e a presença de ratos.

O capitão James Cara-de-touro fez questão de comandar o navio na partida. O casco do Refante, com o peso, submergiu um metro a mais. Embora infladas as velas, a embarcação relutava a mexer-se. Demorou cinco minutos para girar o suficiente para tomar a direção de saída do porto. Cara-de-touro estava bem-humorado e satisfeito.

Os marujos estavam furiosos. Além de não haver espaço para esparramarem-se durante o sono, eram censurados a cada arroto e tinham mais trabalho para fazer o navio funcionar. Quiseram lançar mão da vela mágica roubada do Illerocep, mas o capitão proibiu. O verniz milagroso do casco diminuía o atrito com a água, mas o peso vencia a luta. O barulho impedia conversas inteligíveis, muitos falavam ao mesmo tempo.

Padre Ernesto e seu protegido, o mongezinho, não apareceram nas horas seguintes. O homem-estátua montou guarda em frente ao quarto do padre.

Cara-de-touro não providenciou a cerimônia de batismo conforme o padre disse. Só se preocupou em conduzir o navio.

E em aguardar o esvaziamento dele.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Insegurança conveniente

Promulgou-se a Constituição Federal em 1988.

Alterou-se o sistema eleitoral, permitindo a reeleição no Executivo, em 1997.

Caminha-se para nova mudança, após manobra do réu João Paulo Cunha (PT-SP – não vote nele), em 2008.

Políticos brasileiros fazem o país andar para trás. Não evoluímos para a segurança e consolidação institucional, e sim atolamos nas conveniências dos que elegemos.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Trenzinho legislativo da alegria

Não vote no senador César Borges (PR-BA), relator na CCJ da Proposta de Emenda Constitucional que cria mais 7 mil cargos de vereador.

Nem vote no deputado federal Pompeo de Mattos (PDT-RS), criador da Proposta.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Forca dos homens

Vestimenta ridícula é a gravata.

Câncer das relações sociais, a gravata não passa de uma coleira por meio de que se pode puxar o indivíduo.

Reparou, fiel leitor, o quanto é bizarro um pedaço de pano pendurado no pescoço? Ainda mais se seguida a regra de que a cor da gravata deve ser diferente da cor da roupa. Daí surgem as gravatas fosforescentes.

Se soubessem a origem bélica da coleira social, banir-la-iam. Gravata vem do francês cravate, variação do adjetivo-pátrio croat. Cavaleiros croatas vestiam tiras de pano no pescoço no século XVII.

Não sei quantos séculos serão necessários para a gravata cair em desuso, mas estou tranqüilo. Os justos culottes da aristocracia francesa se foram. As sais masculinas romanas restringiram-se à Escócia. As perucas dos revolucionários americanos, resquício do hábito franco-inglês, acabaram.

Que os nossos tataranetos estejam livres.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Estou perdendo a condição de ser humano

Post 258/2008/NCD

Estou em dívida em relação a'Os refantes, mas os últimos dias não permitiram atualizar a imprescindível, indispensável série. Por enquanto, A Cova só enterra textos simplificados.

Hoje falo da burocracia, esse Leviatã. O cientista maluco, o Victor Frankenstein da administração, chama-se Jean-Claude Marie Vincent, Seigneur de Gournay, economista francês.

Se Alexis de Tocqueville criou o conceito de tirania da maioria, o Seigneur de Gournay criou o de tirania da repartição, o governo da morosidade.

O romancista tcheco Franz Kafka idealizou em Metamorfose a conversão de um humano em um inseto. O contista brasileiro Victor Giudice fez algo semelhante ao relatar em O arquivo a transformação de um burocrata em um arquivo. As pessoas de ambos os exemplos perderam a condição de ser humano.

Creio que estou prestes a tornar-me um memorando ou um crachá. Aliás, o crachá faz parte de mim como um fígado ou a aorta, pois sem ele não posso entrar no trabalho. Ele estampa o meu nome, o que dispensa apresentações. Ele traz minha matrícula, o que dispensa meu nome. Na catraca, exponho a minha digital, o que dispensa apertos de mãos e cumprimentos afins.

Hoje providenciei documentos para renovar meu contrato (o ser humano precisa de escrever os acordos senão sua natureza cruel far-lo-á tapear o próximo). A contratação de um estagiário, veja bem, um estagiário, requer comprovantes de quitação com o serviço militar e a justiça eleitoral; dois documentos da universidade; dois documentos pessoais; e três documentos do contratante.

O maldito comprovante da justiça eleitoral, o da votação de 2006, eu perdi. Então, dirigi-me ao TRE-DF para expedi-lo. Informaram-me que apenas um cartório eleitoral pode fazê-lo. Oras, para que diabos serve o tribunal eleitoral? No DF ele não trabalha de quatro em quatro anos? Suponhamos que ele tenha outras atribuições, como verificar contas de candidatos e partidos. Mas será que é tanto serviço que não pode expedir um documento?

Fui ao cartório e consegui o tal comprovante. Foi rápido, admito. Restou ir à universidade. O setor responsável pelos papéis de que necessitava estava fechado. No meu departamento, falaram que só poderiam expedir os ditos cujos em 2 (dois) dias úteis. Dois dias para imprimir duas páginas!

A solução foi recorrer à reitoria. Lá o prazo para a expedição era de 3 (três) dias úteis! Mas, vejam só que legais, quebraram meu galho e expediram em 20 (vinte) minutos. Vinte minutos para imprimir duas folhas. São muito bonzinhos.

Na Universidade de Brasília, a moda é pregar cartazes com o artigo 331 de um código cujo nome esqueci: desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela é crime. Acho que é isso o que o artigo diz.

Pois bem. Pendurem, então, para termos a legislação completa, o caput do artigo 37 da Constituição Federal: a Administração Pública será regida pelo princípio da eficiência.

Atenciosamente,

Guilherme Rocha

Coveiro, estagiário de jornalismo

Confere com o original

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Índios

Não se fazem índios como antes.

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga a demarcação de uma reserva indígena em Roraima. O ministro Carlos Menezes Direito expôs pertinentes ressalvas, entre elas a proibição de índios explorarem recursos energéticos e garimpagem sem a autorização do Congresso Nacional.

Oras, índios vivem de caça, pesca e extrativismo simples, não cabe a eles explorarem as citadas benesses em larga escala. Índio não veste terno, gravata e jeans, como os pseudo-indígenas que acompanharam o julgamento no tribunal.

Índios não cobram pedágio de quem passa por sua terra, aliás, índios não usam dinheiro. Afinal, eles são índios! Só falta o absurdo de sermos atacados por eles à bala em vez de à flecha.

O Estado brasileiro, que os protege devido à diferença cultural, tem de lidar com os vícios dos brancos existentes nas mentes dos índios. Talvez a culpa seja de todos nós que incutimos porcaria na cabeça deles.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Bezerro desmamado

Confira a minha previsão do final do Campeonato Brasileiro.

Errei o campeão, acertei três das quatro vagas da Libertadores, acertei que o Flamengo não iria para esta competição, acertei três dos quatro times rebaixados.

As previsões erradas devem-se à arrancada do São Paulo, que eu nunca imaginaria, o interesse do Internacional pela Copa Sul-americana, que o desviou do Nacional e a reação tardia do Figueirense.

Fui ontem ao Bezerrão. O pequeno estádio serve para futebol de botão. A circulação nos arredores é difícil, e não há nas imediações estrutura para os torcedores, como restaurantes.

Não vale os R$55 milhões gastos na construção.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Não vote nos deputados que absolveram Paulinho da Força Sindical

  1. Fernando Melo (PT-AC)
  2. Leonardo Monteiro (PT-MG)
  3. Sandes Júnior (PP-GO)
  4. Wladimir Costa (PMDB-PA)
  5. Efraim Filho (DEM-PB)
  6. Dagoberto (PDT-MS)
  7. Abelardo Camarinha (PSB-SP)
  8. José Carlos Araújo (PR-BA)
  9. Marcelo Ortiz (PV-SP)
  10. Rômulo Gouvêa (PSDB-PB)

Os candidatos do PMDB às presidências da Câmara, do Senado e da República

Às vezes receio voltar a assuntos, mas é necessário. Há temas perante os quais não podemos nos calar.

O PMDB quer a presidência da Câmara (Temer) e do Senado. Trata-se de uma manobra descarada de golpismo, oportunismo, chantagismo e politicagem. É surreal um partido concentrar tanto poder. O tácito acordo de cavalheiros que determina ser a maior bancada a dona da presidência deveria ser relativizada.

Mas não. Não basta impor indicações na Esplanada dos Ministérios, barganhar alianças nas eleições, exigir verbas sem fim. O PMDB é um sorvedouro insaciável.

As negociações indicam o nome de José Sarney para a presidência do Senado. O mesmo Sarney que ocupou o mesmo posto, o mesmo Sarney que apoiou a ditadura militar, o mesmo Sarney enfiado na goela de Tancredo Neves na eleição indireta de 1985.

O mesmo PMDB que foi uma oposição de fachada contra a Arena.

Dizem que o partido não tem candidato próprio para a presidência em 2010. Ah, fiéis leitores, tem sim. O candidato do PMDB é o PMDB. E esse sempre ganha.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Todos a bordo

O mapa dos oito mares

Em uma conta rápida, Vítor Hugo Metallion, o cozinheiro do Refante, somou 324 pessoas na comitiva do padre Ernesto. O navio, além da tripulação, suportaria 107 pessoas espremidas.

- Vou chamar o capitão – balbuciou o cozinheiro.

James Cara-de-touro não desgostava de acordar cedo. Detestava ser acordado. Se acordasse por si após 20 minutos de sono, não havia problema. Contudo, ser despertado, mesmo após 15 horas deitado, fazia dele educado como um ogro.

Não foi sem receio que Vítor Hugo bateu na porta da cabine. Menos de um minuto depois, Cara-de-touro abriu a porta. Não teve a preocupação de vestir algo por cima da roupa íntima. As pálpebras grudavam uma na outra devido à remela, as rugas exalavam mal-humor. Nada disse, apenas esperou a fala do subordinado.

- O padre Ernesto chegou, capitão.

James vestiu um robe para sair ao relento. Àquela altura, o padre subiu no convés.

- Certamente você está satisfeito em servir ao senhor – saudou o padre. Cara-de-touro permaneceu calado. - Providencie as instalações da minha comitiva.

O capitão olhou para as 323 pessoas aguardando o embarque e, em seguida, tornou para o padre, com voz grossa de sono:

- Não seja imbecil, o navio não suporta tanto peso. E se suportasse não os levaria. Escolha dois ou três acompanhantes. Partiremos em uma hora.

- Compreendo que o seu intelecto não absorva informações de imediato, por isso vou esclarecer. Você agora é meu servo, esse navio é meu, essa tripulação é minha. Embarque todos.

Diante do tom de voz calmo e outorgante, Cara-de-touro encarou o padre e refletiu por alguns segundos.

- Quer que eu cozinhe eles, chefe? - debochou Vítor Hugo.

- Quero que acorde os demais e que providenciem o embarque.

Atônito, o cozinheiro argumentou, desta vez com seriedade:

- Capitão! O navio vai afundar com eles todos! E conosco por tabela!

- E essa será a nossa alforria.

Sem dar atenção ao diálogo, padre Ernesto arrematou:

- Prepare também, maldito, a cerimônia da conversão de todos vocês – e foi para a sua oração matinal.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Relações virtuais

O fiel leitor pôde ver aqui como a digitalização do mundo me incomoda. Hoje continuaremos a tratar desse assunto.

A bola da vez é o amigo secreto pela internet. Faz-se um grupo virtual, cadastra-se os coleguinhas, e o computador faz o sorteio. Lá você escreve os presentes que deseja ganhar.

Chegará o dia em que você beijará pela internet: o beijo com mais gigabytes será o mais amoroso e excitante.

O meu amigo Vítor Noronha Matos, jornalista, também mostra-se triste devido a tecnologia. Volta-e-meia ele cita o exemplo da guerra.

Hoje não se pode morrer de forma poética, e sim, de forma eficiente (= rápida). Joga-se uma bomba e bum! Morrem inúmeras pessoas, sem glória.

Se as batalhas fossem travadas com arco e flecha, poder-se-ia recitar um poema após uma flechada no fígado. Aí sim, pronto para morrer.

Há diversos outros exemplos. O dos laptops é a ponta do iceberg. Ou a ponta do plug do computador. Há também as conversas dentro de uma empresa, quando os funcionários dialogam mais pela intranet ou pelo e-mail do que cara a cara.

Quando comermos pela internet, avisem-me. Estocarei comida de verdade.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Quer pagar quanto?

A culpada pelos ingressos excruciantes de São Paulo versus Goiás é a Confederação Brasileira de Futebol. Ao impor o preço de no mínimo R$180,00 reais no jogo da Seleção contra Portugal, ela abriu precedente, inflacionou o mercado.

Se há pessoas dispostas a pagar R$ 360,00 para ver o timeco do Dunga, imagina quanto pagaria para assistir ao hexacampeonato são-paulino?

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O bom e o mau

Hugo Chávez quer mudar a constituição venezuelana para ficar 23 anos no poder (1998-2021).

Esqueça, Huguinho, há pessoas mais poderosas que você.

O seriado mexicano Chaves completou 24 anos de exibição no SBT.

E pode atingir muito mais, pois a arte não envelhece, enquanto caudilhistas ditadores golpistas, sim.

Vossa Insolência tem prazo de validade.